Advogada especializada em Direito Homoafetivo, Direito das Famílias e Sucessões. Foi a primeira Desembargadora do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, tendo também inaugurado o ingresso da mulher na magistratura gaúcha. Criou o JusMulher, serviço voluntário de atendimento jurídico e psicológico às mulheres carentes e lançou o Jornal Mulher. Concebeu o site www.direitohomoafetivo.com.br. Foi a única gaúcha indicada pelo Projeto 1.000 Mulheres para o Prêmio Nobel da Paz 2005. Ganhadora do prêmio TRIP Transformadores em 2014, menção dada pela Revista TRIP a pessoas que promovem a ideia de um mundo mais inteligente, humano e equilibrado.