Ana tem 27 anos de idade, é a mais velha de quatro irmãos, filha de dois pretos. Casada e criadora de 3 cachorros.

Moradora do Complexo da Maré, Zona Norte do Rio, faz parte nesse território do Coletivo Palafita, agência e produtora com foco na arte e cultura das favelas.

Formanda em Letras e escritora desde os 14 anos, publicou contos e poesias em coletâneas nacionais e internacionais como a “Estrelas Vagabundas”, “26 novos autores da FLUPP” (Festa Literária das Periferias), “Eu me chamo Rio” e na “Je suis Favela”. Em 2014 recebeu o 1º Premio Carolina de Jesus, dado a pessoas que tiveram suas vidas mudadas pela Literatura.

Desde 2012 faz parte da equipe de coordenação da Agencia de Redes para Juventude, projeto que tem como missão mudar a relação da cidade com a juventude de favela.

E em 2016 passou a escrever para a revista feminista AzMina e se torna colunista do jornal O Globo.